(11) 96358-9727

 

Apóie a continuidade deste trabalho, totalmente independente desde 1997. Saiba como participar clicando na imagem ao lado.

1958 1990 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018

Poesia Linear  Poemas Por Título Por Livro Por Data Com Vídeo Com Áudio Livros Impressos Poemas Musicados


(Clique Sobre a Inicial do Título)

APOIE A CULTURA INDEPENDENTE!

COMPRE PRODUTOS INDEPENDENTES!

Todos os textos e poemas publicados em A Barata, exceto quando indicados, são de autoria de Luiz Carlos Giraçol Cichetto, nome literário Barata Cichetto, registrados no Escritório de Direitos Autorais. Proibida a cópia e uso sem autorização do legítimo proprietário, sob as penas da Lei.

O SONHO ACABOU DE SER ASSASSINADO

O Sonho Acabou de Ser Assassinado

Barata Cichetto
Arquíloco
Estou certo que ele lutou por sua existência
Quando bruscamente lhe a atiraram a tiros
Porque ali acabaria seu sonho de resistência
Junto com seus últimos dolorosos suspiros
Quando arrombaram a porta de sua consciência

A poucos passos do grande portão de correr
Tiros alcançaram aquele homem que parado
Sem tempo de balbuciar a palavra morrer
Caiu dentro da bacia de sangue coagulado
Que de seu corpo agora começara a escorrer

Ele jamais teria tempo de perguntar
Ao seu assassino o porque daquele ato
Ou ao menos de dizer deixa estar
Que um da iremos acertar um pacto
Então poderei por isso lhe perdoar

Gritos femininos orientais ecoaram no ar
Tendo ao fundo um matador a discorrer
Que porque o ama poderia então lhe matar
Alguns disseram deixam o sangue correr
Enquanto com essas coisas pudermos ganhar

Uma das balas atingiu sua peluda cabeça
Que coisas belas e boas imaginou por nós
A morte lhe apanhou antes que aconteça
Uma coisa que o transformaria em algoz
Daqueles que esperam que o bem desapareça

Imagine apenas uma sociedade sem assassinatos
Que eu lhe direi que é apenas sua imaginação
Porque a morte dentro do ser humano é inato
Enquanto existir neste planeta qualquer nação
Que tenha um legislador chamado Poncio Pilatos

Aqueles bichos que lhe pareciam causar doenças
São aqueles mesmos que agora trajados de terno
Discorrem que por qualquer coisa que aconteça
Jamais poderão esquecer daquele poeta eterno
Que sempre procurou sonhar com nossa cabeça

Eu sonhei com ele galantemente montado
Sobre um animal pelos nossos doces mares
Quando acordei o sonho tinha acabado
Com pedaços de seu cérebro pelos ares
Pelas balas que ele tinha contra lutado

Retalharam seu corpo alugando os pedaços
Depois o embalsamaram colocando em um museu
Sem esquecer daquela parte de seu braço
Que lutou até a morte em um moderno Coliseu
Contra ursos que mandam apertados abraços

O que nos resta neste momento é chorar
A morte desse ser que nos deixou de bobeira
Sonhando com um mundo sem sangue a derramar
Suas roupas rasgadas serão a nossa bandeira
Com que conquistaremos a liberdade de sonhar.
9/12/1980

-

-

Registro no E.D.A. da F.B.N. : -

1 - "Leve Um Homem Ao Matadouro..." 11/2/2002

1958 25/6/2004

2 - "...O Que Berrar na Hora da Faca é o Homem..." 11/2/2002

3 - "...Mesmo Que Seja o Boi!" 11/2/2002

A Aranha (Trecho) 1/9/1980

A Artesã e O Poeta 11/9/2008

A Balada de Izabel Cristina 28/12/2013

A Barca da Esperança 19/9/2006

À Beira da Morte 11/11/2006

A Bunda da Minha Amada 1/3/1998

A Carta e a Chuva 28/6/2008

A Carteira e o Poeta 4/1/2006

A César o Que é de César e a Augusto o Que é dos Anjos 17/11/2009

A Ciência da Poesia 5/12/2009

A Doença Que Eu Tanto Amo 5/12/2005

A Dor Suprema 19/9/2006

A Felicidade da Dor 17/12/2009

A Herança dos Sonhos 26/9/2008

A Humanidade é a Merda da Terra 8/11/2006

A Importância da Merda e a Merda da Importância (Porque Nenhuma Merda no Mundo é Mais Suja Que Seu Nome) 12/10/2002

A Ira dos Anjos 26/8/2009

A Ira e a Lira dos Demônios e dos Deuses Sem Gozo 25/8/2009

A Lenda da Fada da Foda 6/2/2015

A Lista 17/7/2016

A Mais Bela das Histórias de Amor Sobre a Terra. 7/7/2008

A Maldição da Barata Branca 24/10/2008

A Maldição do Tempo 20/1/2015

A Mendiga 8/2/2007

A Morte da Morte 1/8/2001

A Morte da Saudade 20/9/2009

A Música da Letra 15/10/2006

A Noite da Última Sorte 3/12/2002

A Noite dos Desesperados 20/9/2004

A Paciência dos Anjos e As Flores da Macedônia 21/9/2009

A Poesia Que Eu Preciso 31/1/2010

A Poesia, a Razão e a Loucura 9/7/2017

A Prisão da Liberdade 15/11/2009

A Professora e A Barata 1/11/2008

A Santidade da Vida 11/2/2007

A Serpente e A Raposa 11/12/2005

A Solidão e A Esperança 3/9/2006

A Solução da Corda 9/10/2009

À Sombra de Objetos Inexistentes (Antes do Começo e Depois do Fim) 21/3/2012

À Sulamita 30/7/2000

A Toalha e a Mesa 21/4/2008

A Verdadeira História da Betty Boop 28/4/2005

Aborto 11/11/2009

Acaso Eu Morra Amanhã 9/1/2006

Achados e Perdidos 27/5/2008

Ácida Cida 1/10/2000

 



(11) 96358-9727

A Barata - O Site

A Barata Ao Vivo

Amigos & Livros

A Arca do Barata

Arquivos Abertos

Artesanato

As Faces d'O Corvo
Augusto dos Anjos

Ataraxia

Barata Cichetto, Quem É?

Barata Rocker

Biografi'As Baratas

Camisetas

Cinematec'A Barata

Coletâneas de Rock

Colunas Antigas
Conte Comigo, Conte Pra Mim
Contos d'A Barata
Convergências
Crom

Crônic'As Baratas

Depoimentos

Des-Aforismos Poéticos Baratianos

Discoteca d'A Barata

Download Free

Ensaios Musicais

Entrevist'As Baratas

Eventos

Facebookianas
Fal'A Barata!
Fotos
Gatos & Alfaces
Kakerlak Doppelgänger
Livrari'A Barata
Livros
Madame X
Memória A Barata
Micrônic'As Baratas

Na Mídia

O Anjo Venusanal
Pinturas
Pi Ao Quadrado

Poesi'a Barata

Ponto de Fuga
Pornomatopéias
PQP - Puta Que Pariu
Prefácios & Editoriais
Projeto Sangue de Barata
Psychotic Eyes
Renato Pop
Resenhas

Retratos e Caricaturas

Revist'A Barata Digital

Revist'A Barata

Seren Goch: 2332

Sub-Versões

Tublues

Versus

Videos

Vitória

Webradio

Todos os textos, exceto quando indicados, são de autoria de Luiz Carlos Giraçol Cichetto, nome literário Barata Cichetto, e foram registrados na Fundação Biblioteca Nacional. Não é permitida a publicação em nenhum meio de comunicação sem a prévia autorização do autor, bem como o uso das marcas "A Barata" e "Liberdade de Expressão e Expressão de Liberdade". Lei de Direitos Autorais: 9610/98.
 On Line

Política de PrivacidadeFree counter users online